ornamentação de interiores

Não é segredo algum que a ornamentação de interiores pode tornar-se custosa para incorporar em seu orçamento doméstico. Ainda que você esteja olhando exclusivamente a fim de redecorar um aposento específico, os custos podem acrescentar-se depressa. Você pretende adquirir carpetes ou botar madeira para recobrir o chão? Qual cor de tinta que você vai optar? Você irá adquirir móveis novos? E quanto as novas luminárias e demais acessórios? Não se esqueça em relação as tapeçarias e ornamentação.

A concepção de ter que obter todos esses itens é perturbadora. Ao esforçar-se a fazer tudo com um orçamento limitado, parece incerto, entretanto essa intenção vai se tornando concreta no decorrer.

Enquanto o planejamento apropriado é primordial para qualquer proposta de melhoria de casa, sua exigência amplifica dez vezes no caso de você está trabalhando em um orçamento estreitado. Afinal, ninguém pretende encontrar-se em uma situação onde eles encontraram o sofá perfeito apenas para perceber que não têm dinheiro bastante em sua conta ou que o armário de canto não vai se encaixar no lugar. Fazendo um pouco de trabalho braçal de antemão irá conter drasticamente a probabilidade de encontrar uma surpresa desagradável no decorrer do percurso.

Em primeiro lugar, encontre a sua influência do projeto. Olhe para revistas e na internet para achar o estilo que você apreciaria de repetir em seu projeto. Logo após, divida o projeto em seus componentes. Procure lojas a fim de ter uma visão sólida sobre o quanto as componentes custarão. Certifique-se de ter em conta todos os custos associados, como a admissão de trabalhadores manuais.

Depois de ter um ponto de preço em mente, dê uma espiada em suas finanças. Seja honesto sobre o quanto você tem livre para gastar. Se esse valor fica aquém do seu orçamento inicial, reserve uma quantia razoável de dinheiro a toda semana até alcançar ao seu objetivo. Pode levar mais tempo do que passar as compras no cartão de crédito, mas você vai agradecer mais tarde por essa economia.

Nesse propósito deve ser levado em conta a priorização, isto é, optar pelo cômodo em sua moradia que precisa de mais apoio e iniciar por aí, se você precisa de moveis para cozinha ou de uma pintura em seu aposento. Nesse meio tempo, faça mudanças nos outros, inclusive se eles não ficarem perfeitos num primeiro momento. Então, quando você possuir um pouco de tempo para restabelecer o orçamento, passe para o seguinte grande projeto.

Imagens meramente ilustrativas

Trabalhando sob um orçamento é muitas vezes a cerca de priorizar gastos. Quando você está com recursos limitados, tem que gastar dinheiro onde irá atingir o melhor benefício. Em design de interiores, o que significa a atribuição de uma grande parte do seu orçamento para a aquisição de moveis usados em Curitiba já que seguramente vão durar anos. Ao inverso de cores de pintura que saem de moda ou acessórios que vão perder o brilho após alguns anos, os móveis conseguem durar décadas.

Para preparar seu home office, ao efetuar compras de moveis usados de escritório, a qualidade é tão relevante como o requinte, que sempre pode ser diversificado. Inspecione cada polegada da peça para ver sua qualidade estrutural.

Qual o meu papel na preservação do meio ambiente?

Nas últimas décadas estamos escalando rapidamente para uma nova forma de lidar com o meio ambiente. Assistimos o surgimento de política públicas, encontros entre nações, novas leis, empreendedorismos sustentáveis, e até uma atenção maior ao lixo que produzimos em casa. A sensação que dá, porém, é que ainda fazemos muito pouco para que o lixo que geramos seja reduzido. Com previsões alarmantes sobre um futuro próximo onde nosso sistema de desenvolvimento e consumo se tornará insustentável, me pergunto porque ainda não estamos agindo de acordo com a gravidade da ameaça.

Passamos de um ponto já que a responsabilidade deixou de ser apenas do governo ou das grandes indústrias. Nós, cidadãos, consumidores e produtores de resíduos, precisamos dos recursos da natureza para sobreviver, e estamos agindo de maneira inconsequente, prejudicando as futuras gerações.

Por isso, fiquei feliz quando me deparei com um texto no médium do engenheiro sanitarista Hiram Sartori. No texto ele dá sugestões de como reciclar um dos bens de consumo mais presentes em nossas vidas, os equipamentos eletrônicos. Sartori cita sua entrevista para o Jornal Hoje em Dia, e buscando suas várias plataformas eletrônicas, pude constatar seu trabalho como profissional e acadêmico de levantar questões pertinentes de sua área e tentar trazer uma consciência maior em relação aos nossos atos em relação ao meio ambiente.

Segundo Sartori, a geração dos resíduos eletrônicos se tornou maior que a capacidade de destina-los desde os anos 80 e seu descarte inadequado ajuda na liberação de materiais tóxicos no solo e nos lençóis freáticos. E como descartar equipamentos eletrônicos de forma correta? Segundo o engenheiro, a pessoa pode encaminhar um notebook velho, por exemplo, para o seu fornecedor para reutilização. Além disso, pode contatar instituições que possam reutiliza-lo ou doar para escolas ou ONGs. As peças que compõe o aparelho são fabricadas com materiais que podem ser reciclados ou vendidos separadamente. E até mesmo restos de toner de impressoras podem ser usados para aumentar a resistência do asfalto ou como corante de concreto.
foto meramente ilustrativa **

De um modo geral, o que devemos fazer com nosso lixo eletrônico é reduzir, reutilizar e reciclar. O modo como utilizamos nossos aparelhos também importa bastante, como exemplo Sartori cita não deixar o aparelho ligado o tempo todo, para aumentar sua vida útil. Use-o com cuidado, e não o troque por outro novo até não ser mais possível usá-lo novamente. Em casos de eventos isolados, alugar equipamentos também pode ser uma boa opção.

O uso consciente de bens de consumo é de suma importância para um modo de vida ambientalmente correto. Isso vale para qualquer tipo de lixo: devemos diminuir o consumo, usando nossos bens de modo que dure o máximo possível e então destina-lo para reciclagem ou reutilização. Penso que nos tempos atuais isso se mostre difícil, pois estamos mergulhados em constante marketing cada vez mais direcionado, que nos faz pensar que precisamos de bens matérias que não nos são essenciais. É difícil encontrar alguém que use seu celular até o fim de sua vida útil, quando novos modelos são lançados o tempo todo, com novas ferramentas e câmeras melhores.

Por isso atenção pessoal! Podemos consumir novos bens, mas estejamos atentos ao consumo sustentável e sempre em busca de soluções para nosso lixo. Pequenos atos de reciclagem e reutilização na nossa rotina, pode ser um grande passo para o meio ambiente se dermos ele juntos.